ter | 09 de agosto de 2022

19 3407 . 1050

Acompanhe-nos:

Notícias

fios de poliéster | Deputado Alexis Fonteyne reforça apoio ao setor têxtil contra antidumping

O deputado federal Alexis Fonteyne reforçou seu apoio ao setor têxtil em ação contra a aplicação de direitos antidumping sobre as importações de fios texturizados de poliéster. Ele visitou o Sinditec (Sindicato das Indústrias Têxteis de Americana, Nova Odessa, Santa Bárbara e Sumaré) dia 19, oportunidade em que discutiu esse e outros temas de interesse da cadeia têxtil.

Na Câmara Federal, Fonteyne é presidente da Frente Parlamentar Mista pelo Brasil Competitivo, que trata dos gargalos do custo Brasil para adoção de posicionamentos capazes de aprimorar o ambiente de negócios e melhorar a competitividade do país no mercado global. Como empresário, entende a situação do setor têxtil e o risco desse antidumping para toda a cadeia têxtil.

Estiveram presentes o presidente do Sinditec, Leonardo Sant’Ana, o secretário de Desenvolvimento Econômico de Americana, Rafael de Barros, Francisco de Azevedo Marques Jensen, representando a Comexport (Companhia de Comércio Exterior), o advogado Roberto Kanitz, do escritório UNO International Trade, Guilherme Marinho Bastos, representando as empresas, a consultora jurídica Sandra Camarinho Macedo e assessores.

A solicitação ao deputado foi a interlocução junto à Casa Civil, Ministério da Economia e outros setores competentes do governo federal pela não aprovação do antidumping dos fios de poliéster, mostrando principalmente o impacto que a medida poderá trazer para a inflação, além de buscar o apoio de outros deputados federais e senadores.

O advogado destacou que o fio de poliéster é o mais utilizado e consumido em produtos das classes menos favorecidas, assim como é o balizador de preços de todo o mercado. Aumentos em seu preço influenciarão a precificação dos fios de algodão, viscose, poliamida, etc.

Competitividade – O presidente do Sinditec considerou que a medida afetará a competitividade das empresas. “O aumento de, no mínimo, 8,5% no valor do fio de poliéster aumentará a pressão dos custos de produção, prejudicando a nossa concorrência. As empresas que estão conseguindo hoje concorrer com os produtos importados terão mais dificuldades, ficando menos competitivas. Esse aumento poderá incentivar a importação de produtos acabados, principalmente porque vai incidir no início da cadeia produtiva, que é do fio, impactando todo o segmento têxtil. Também vai gerar inflação e aumento de preços de produtos. Em um momento que o setor têxtil já vem sofrendo com a pressão nos custos das matérias-primas, o aumento no preço do fio de poliéster texturizado trará problemas para o setor têxtil”.

O Sinditec está pedindo o apoio das empresas para que assinem uma petição online contra a aplicação do direito antidumping. Além dos consumidores diretos do fio (revendedores, malharias e tecelagens), podem assinar essa petição todas as empresas possivelmente afetadas pela medida, como confeccionistas e varejistas.

Link para assinatura da petição: Não imposição de direitos antidumping às importações de fios texturizados depoliéster – Peticao.online

Share on facebook
Compartilhar
Share on twitter
Compartilhar
Share on whatsapp
Compartilhar
Share on email
Email